Sábado, 16 de Fevereiro de 2008

Terceira idade

Vi nos bancos do jardim

Alguns velhinhos sentados

Com a vida a chegar-lhe ao fim

E os rostos amargurados

 

Alguns já são reformados

Da reforma se governam

Já nada do futuro esperam

Disso estão desmaginados

Pois já estão acostumados

A passar a vida assim

E muito desesperados

Vi no banco do jardim

 

Andam daqui para ali

Sem dinheiro para gastar

Sem tabaco para fumar

Mesmo daquele mais ruim

Ninguêm me disse que eu vi

Seus rostos amargurados

Vi ao passar por ali

Alguns velhinhos sentados

 

Quando passo por aqueles lados

E vejo aquela cena triste

E  o pouco interesse que existe

pelos pobres dos reformados

Eles dão pena coitados

E triste velos assim

Vêm-se tão mal esperançados

Com a vida a chegar ao fim

 

O se destino é assim

Depois de tanto trabalhar

Ainda tem que mendigar

Se querem chegar ao fim

Para recordarem ali

Penas dos tempos passados

Juntam-se ao pé do jardim

Com os rostos amargurados

 

20-03-83

 

 

publicado por ldcristiano às 18:30
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.Setembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30

.posts recentes

. O livro

. Sempre gostei de crianças

. Do Luís para a Teresa, Na...

. Do Luís para a Teresa pel...

. Embora pareça normal

. Dia da Mãe

. As nossas escursões

. Que me dera ser menino

. Terceira idade

. Caderninho de capa preta

.arquivos

. Setembro 2012

. Abril 2012

. Dezembro 2009

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.Visitas

Web Page Hit Counters
Dial Up Internet Access
RSS